0% Completo
0/0 Etapas
  1. Objetivo e metodologia
  2. Textos introdutórios
    5 Assuntos
  3. MATEUS 24:1
    📜 Textos - Mateus 24:1
    3 Assuntos
  4. 🎬 Vídeos - Mateus 24:1
    24 Assuntos
  5. MATEUS 24:2
    📜 Textos - Mateus 24:2
    3 Assuntos
  6. 🎬 Vídeos - Mateus 24:2
    42 Assuntos
  7. MATEUS 24:3
    📜 Textos - Mateus 24:3
    3 Assuntos
  8. Mateus 24:3 | Textos complementares
    3 Assuntos
  9. 🎬 Vídeos - Mateus 24:3
    25 Assuntos
  10. MATEUS 24:4
  11. 📜 Textos - Mateus 24:4
    3 Assuntos
  12. 🎬 Vídeos - Mateus 24:4
    13 Assuntos
  13. MATEUS 24:5
  14. 📜 Textos - Mateus 24:5
    3 Assuntos
  15. 🎬 Vídeos - Mateus 24:5
    10 Assuntos
  16. Mateus 24:6
    4 Assuntos
  17. Mateus 24:7
    3 Assuntos
  18. Mateus 24:8
    3 Assuntos
  19. Mateus 24:9
    4 Assuntos
  20. Mateus 24:10
    3 Assuntos
  21. Mateus 24:11
    3 Assuntos
  22. Mateus 24:12
    4 Assuntos
  23. Mateus 24:13
    3 Assuntos
  24. Mateus 24:14
    3 Assuntos

Participantes 1064

  • 11098305728
  • 3amadeiras
  • abigailacq
  • aca-teixeira
  • acrispgo
Mostrar mais
Sala 6, Assuntos 17
Em andamento

Transcrição da intervenção do autor 26/09/2021

Sala Progresso
0% Completo
MT 24:2 A promessa de Jesus
Autor 2 Data da reunião:  26/ 09/ 2021
https://portalser.org/a/26-09-2021-a-promessa-de-jesus-video-10/
Temas abordados: Velho Testamento e Novo Testamento; manifestações de Jesus e de Adonai; códigos da divindade; DNA do corpo como ficha de serviço; DNA espiritual; corpo do Cristo; 42 gerações; genealogia de Jesus Cristo (Mateus 1); cada geração, uma onda mental evolutiva; emissões mentais individuais e da coletividade.

 

Nesta reunião, os participantes discutiram longamente sobre o tema do DNA do Cristo, especialmente acerca da frase: O DNA do Cristo é o Cristo do nosso DNA. Algumas perguntas foram propostas para reflexão do grupo:

O que é DNA espiritual?

Será que falarmos que o DNA do Cristo é o Cristo do nosso DNA refere-se somente a uma questão evolutiva? Ou será que em nosso DNA, mesmo no DNA biológico, existe algo que venha do Cristo, de fato? Há algo derivado de fato do Cristo, além desta questão de modelo ao qual chegaremos no futuro?

Os participantes disseram contribuições considerando que a essência divina seria um aspecto comum entre nós e o Cristo, logo DNA; DNA material e DNA espiritual seriam coisas diferentes, embora possam guardar uma relação; somos células do Cristo e cristos de nossas células; reverberação do DNA espiritual no DNA físico.

1:05:24

COMENTÁRIOS DO AUTOR: Embora em algumas expressões do Velho Testamento tenhamos a compreensão de que se trata de comunicações muito específicas do Cristo para a posteridade, não podemos confundir tais específicas manifestações do Cristo ou da comunidade dos Espíritos crísticos que regem a evolução do planeta com as descrições do Deus único de Israel. Os judeus na época tinham noção muito mais ampla de Deus, o Criador, que até hoje temos muito que estudar para alcançar a matemática de tais signos.

O Cristo manifestou-se, conforme sabemos e está afirmado no Velho Testamento, cumprindo a sacrossanta vontade do Pai, arquiteto de todo o Bem e de toda Harmonia. Mas há fatos e simbologias nas velhas letras que tratam especificamente de Deus e não da manifestação de Sua vontade pelos Espíritos puros que lhe compõe a mão obediente e operosa. Em alguns Salmos, no livro de Eclesiastes, em algumas manifestações proféticas, o livro de Provérbios, algumas composições de Provérbios ou de Sabedoria, que está apenas na Bíblia Católica, existem códigos que dizem respeito à divindade e não a Jesus ou aos Espíritos Crísticos.

Não devemos tomar que todo o Velho Testamento trata de manifestação de Jesus; isso não é verdade. Há manifestações claras de entendimento de Adonai, não somente de Elohim, que seria o logos.  Tomemos cuidado porque qualquer interpretação nesse sentido é perigosa para a interpretação das velhas e das novas letras.  Se não entendermos isso no Velho Testamento, o Novo Testamento perde a caracterização de apresentar Deus como Pai porque ele se baseia todinho no conhecimento prévio de Deus e não só dos Espíritos puros.

 

A questão do DNA. Ele (o autor) gostaria de propor uma reflexão em que compreendêssemos o DNA para uma análise no tempo.

O DNA é uma ficha de serviço que compõe uma enciclopédia. Quando o Espírito reencarna, reencarna com uma ficha de serviço com dados específicos ao que ele precisa naquele momento. Essa ficha não contém toda a história espiritual, mas a necessidade e os procedimentos daquela  oportunidade. Essa ficha de serviço claramente vem de um todo, que é o DNA espiritual. O DNA espiritual tem toda a trajetória do espírito do momento que é criado do Incriado. Porque o DNA espiritual é procedente do Incriado, é o absoluto sendo relativizado. Portanto, o DNA espiritual tem informações absolutas, informações que remetem a Deus. O DNA do corpo é uma página de uma longa enciclopédia, uma página específica daquela oportunidade. Portanto traz referências a esse absoluto, mas não contém o histórico dele.

Com relação a ser corpo do Cristo. Quem começou com a informação foi Paulo. Se queremos o dado numérico disso é preciso considerar que um corpo não é constituído apenas por células, mas por toda manifestação de vida ou de protovida ou de vibração que o cerca. Além das células físicas existem as emanações decorrentes delas e toda a organização biológica que vive por causa dessas células físicas ou depende delas. Então é preciso considerar no Cristo a sua longa ficha de serviço nas diversas reencarnações, quando ele reencarnava (porque aqui na terra ele só encarnou, jamais reencarnou).

Para se considerar a razão do nosso DNA espiritual com o DNA do Cristo é preciso considerar a longa ficha de serviço que compõe o corpo Crístico. Nós temos dados sobre isso no Evangelho de Mateus. Seu capítulo primeiro fala de 42 gerações para se formar o corpo com o qual Cristo se manifestaria entre nós. Então ele fala de 42 ondas mentais específicas que foram trabalhadas pela atividade crística no planeta. Que foram, são e serão trabalhadas pela onda Crística no planeta. Cada onda mental circunscrita a um ciclo evolutivo. Cada onda mental, uma espiral componente da grande espiral da evolução. Quando nos reconhecemos DNA proveniente do DNA do Senhor precisamos considerar essas ondas mentais, em quais estamos ou já estivemos. E para isso convém estudarmos, calmamente, a proposta de Mateus, capítulo um: Genealogia de Jesus Cristo.

PERGUNTA: Mas aqueles personagens lá são arquétipos dessas ondas mentais, os personagens do Antigo Testamento pré Jesus?

RESPOSTA: Sim, são arquétipos das 42 principais ondas mentais conforme conhecemos que abrangem o trabalho Crístico no planeta.

PERGUNTA: E porque o ciclo de três vezes catorze para formar 42, a triangulação de 14?

RESPOSTA: Porque demarca as três revelações, as ondas mentais concernentes às três revelações. Afora essas 42 gerações, podemos trabalhar os filhos das 42 gerações porque Jesus é o Filho do Homem.

PERGUNTA: O que significa?

RESPOSTA: As ramificações.

Essas ondas mentais culminam no 70 vezes sete vezes. A culminância do automatismo do perdão e a passagem para a segunda ordem. Estudemos as 42 gerações e nós vamos ter um caminho desse DNA.

PERGUNTA: Sobre esse DNA espiritual, que é essa grande enciclopédia. Se trata também da projeção crística de cada um de nós? Ou trata apenas de um acumulado das fichas de serviço até hoje?

RESPOSTA: Até o DNA físico dá mostras de que ele não trata apenas dessa condição atual. Se você comparar o seu DNA com a genealogia só vai encontrar 42 semelhanças. O DNA é composto por uma ficha de serviço, mas já traz a vitória marcada nessa ficha.

COMENTÁRIO DE PARTICIPANTE: Um participante comenta sua dificuldade em compreender o que está sendo tratado. Sente-se nutrida, mas não compreende algumas coisas. Outros participantes compartilham da opinião, mas ressaltam que o sentir já revigora e que se aproveitarmos algo, já valeu à pena. Outro participante comenta do aspecto consolador da fala do autor que comenta que todos nós trazemos em nosso DNA nossa ficha de serviço já marcada pela vitória. Então, não precisamos nos preocupar em entender tudo.

COMENTÁRIO: Temos mais semelhanças com o Cristo do que divergências.

PERGUNTA: O autor mencionou Mt:1. Na tradução do Haroldo, há uma nota para cada nome das 42 gerações. Gostaria de saber se esse é um bom guia para fazer o estudo que o autor sugeriu de identificação dos arquétipos e compreendê-los.

RESPOSTA: Sim. E se pegar o livro Números, na Bíblia, é um tanto mais proveitoso. Aquela numeração que corresponde à vida dessas pessoas, que é muito longa, normalmente é a duração da onda mental. E se conciliar os dois estudos, conseguimos programar um bom entendimento dessas ondas mentais.

PERGUNTA: Essas ondas mentais seriam faixas de consciência que foram constituídas numa historicidade? O autor poderia nos falar mais para nos ensinar a respeito desses 42 arquétipos?

RESPOSTA: Níveis de consciência não, porque a consciência é da individualidade. O coletivo precisa receber outro nome. O melhor nome que se encontra para isso é onda mental. É a projeção mental de uma coletividade ou da necessidade de aprendizado de uma coletividade ou da mentalidade de oportunidades dessa coletividade. É tudo que exala do conjunto de seres em questão de necessidades, oportunidades e circunstâncias.

PERGUNTA: O produto de nossos pensamentos se torna matéria mental?

RESPOSTA: A mente não é só pensamentos no sentido consciente. Existe todo um cabedal de emissões que podem ser consideradas a nível inconsciente ou a nível de automatismo. A onda mental é o que procede disso, não só o pensamento. Não só o pensamento como o concebemos como ideia constituída, mas todo o conjunto de emissão da mente.

 PERGUNTA: Ondas cerebrais delta e theta, meditação?

RESPOSTA: É uma parte da emissão mental. O Espírito é um fulcro que exala a energia, as ondas, pensamentos. Quase inúmeras. O Espírito sendo um fulcro, a coletividade se torna um fulcro possante, poderoso.

Hide picture